A livraria 24 horas do Mr. Penumbra – Robin Sloan

kindlepenumbraSe você já leu Jogador número 1 leia a resposta 1, se não, pule para a 2.

1. A livraria do Mr. Penumbra é um Jogador número 1 sem a parte do romance adolescente. As referências a vídeo games são trocadas por referências a tipografias, linguagens de programação e design. Também não estamos mais em uma atmosfera futurista, por mais que, ao ver os personagens que trabalham no Google, tenhamos um pouco essa impressão. Não terminei de ler Jogador, parei na metade, mas acho que o espírito é bem parecido.

2. Você já jogou RPG? Se não, tem alguma ideia do que seja? Bem, A livraria do Mr. Penumbra é uma aventura de RPG, mas no mundo de hoje. Temos feiticeira bonitona (seu feitiço é uma capacidade avançada de fazer computadores a obedecerem), guerreiro competente (que abriu sua própria empresa de programas para criadores de vídeo game e ganhou muito dinheiro), velho mago (dono de uma livraria cheia de mistérios) e um paladino narrador (que, convenhamos, sempre é o personagem mais legal).

Esse clima de RPG dura o livro todo. Começamos com uma apresentação de seus personagens, conhecemos um pouquinho do que cada um espera da vida. Clay Jannon é um designer que perdeu o primeiro emprego durante a recessão econômica. Ele sabe um pouco sobre tipografias, um pouco sobre logomarcas, mas não é realmente bom em alguma coisa. Ao contrário de todos os seus amigos. Ele divide o apartamento em São Francisco/EUA com um especialista em efeitos especiais e uma advogada, seu melhor amigo é o guerreiro competente e sua paixão é a feiticeira do Google.

Capa americana

Capa americana

Quando Clay começa a procurar um emprego em sua área, percebe que muitos colegas melhor qualificados também estão sendo despedidos, a possibilidade de voltar a morar com os pais o assombra até que encontra a Livraria 24hrs do Mr. Penumbra.

A livraria quase não recebe clientes durante o turno de Clay, de 22:00 às 6:00, mas alguns clientes começam a parecer mais estranhos que outros. Seguindo essa deixa, Clay descobre uma segunda livraria dentro da primeira, uma livraria que só pode ser consultada pelos inicados.

Todo o clima de mistério e descoberta prende a atenção. Os personagens são simpáticos, conseguimos nos relacionar com eles e rir de suas piadas. No geral o livro entretém. Mas não dá pra deixar escapar toda uma filosofia Disney que existe por trás… O final é bem piegas, bem mesmo, daqueles que dá um pouco de vergonha de ter lido, mas o durante é divertido. É isso, se fosse escolher uma palavra para o livro seria “divertido”. O personagem principal passa por problemas comuns ao jovens de 20 e poucos anos de classe média, como a busca por aquilo que se vai fazer da vida, aquilo que alguém “faz bem”:

Agora mesmo, Oliver e eu somos iguais: temos exatamente o mesmo emprego e nos sentamos exatamente na mesma cadeira. Mas em breve, muito em breve, ele vai avançar para um grau significativo e acelerar para cada vez mais longe de mim. Vai encontrar um lugar no mundo real porque é bom em alguma coisa, algo além de subir escadas em uma livraria velha.

Mas nada muito profundo. As tiradas são boas e dá para rir algumas vezes. Se você conhece um pouco de tipografia e livrarias, vai acabar rindo um pouco mais.

Sobre os funcionários do Google: “Livros: chatos. Códigos: fantásticos. Essas são as pessoas que mandam na internet”

.

Sabe, estou começando a achar que o mundo inteiro é uma colcha de retalhos de pequenos cultos amalucados, todos com seus espaços secretos, registros próprios e suas próprias regras”

Bem, duas reclamações: a capa americana é bem mais bonita que a nossa, e tem todo um cuidado tipográfico que tem relação com o livro, a nossa também tem, mas gostei mais da americana. E segundo, porque não traduziram o Mr. do nome do proprietário?? Essa dúvida me corroeu durante a leitura…

Tradução:   Edmundo Barreiros
Editora: Novo Conceito
Ano de lançamento Brasil/EUA: 2013/2012
Número de páginas: 288

Para ler uma amostra na Amazon, aqui.

*Copiei da Lua Limaverde e ideia de colocar a capa do livro que leio no Kindle dentro da imagem do Kindle. Achei explicativo ;)

segundo
Anúncios

15 pensamentos sobre “A livraria 24 horas do Mr. Penumbra – Robin Sloan

  1. Nossa… Não entendi essa comparação com O Jogador Número 1!

    “Tem esse filme, chamado A Múmia. Ele é tipo O Senhor dos Aneis, mas no lugar de florestas e montanhas, é no deserto. E em vez de orcs, existem mortos-vivos! Ah, e ele se passa nos dias de hoje!”

    Hehehehe…

    • Eu achei os dois bem parecidos sim, é o mesmo tipo de livro, que costuma apelar ao mesmo público.

      Agora, duvido que senhor dos anéis e múmia mirem (podem até acabar atingindo, mas por fatalidade) o mesmo público… Não?

  2. Pingback: Leituras e compras: abril de 2013 | ao rés do chão

  3. Eu prefiro a nossa capa haha. Anyway, não sabia que era um RPG! OMG! O.o mas o estilo do livro é em estilo de livro de RPG? o.O ou só ás vezes…?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s