@mor – Daniel Glattauer

amor-kindlePor que insistimos em nos relacionar com as pessoas? Sabendo que existe sempre o sofrimento, mesmo quando é bom, por que insistimos em entrar em relacionamentos que sempre resultarão em algum tipo de dor?

Numa noite de insônia – na verdade, nessa noite de insônia, para ser mais exata – resolvi aproveitar o precinho camarada de 9,90 e ler a amostra do livro @mor de Daniel Glattauer. Já tinha ouvido falar bem dele, mas sempre torcia o nariz já que sou-muito-inteligente-para-histórias-fofas-de-amor. A amostra me conquistou. Os emails de Emmi e Leo eram engraçados de um jeito espirituoso, nada forçado, como alguma coisa que você mesmo escreveria, mas sem ser “correto” demais, era possível ficar com raiva dos personagens.

Esse é o primeiro livro que leio composto só por emails, a linguagem é claramente menos elaborada que a das cartas, mas a dinâmica do texto também é diferente, mais rápida e passível de erros já que não pensamos tanto assim para escrever um email, certo?

Enquanto Emmi é casada e agitada, Leo é solteiro e se recupera de uma separação recente. Os dois se conhecem por um engano, Emmi tenta cancelar a assinatura de uma revista e acaba mandando o email para o endereço errado, o endereço de Leo. Encarando toda a confusão de forma espirituosa, os dois acabam se tornando amigos sem se conhecerem, só virtualmente. A relação dos dois será complicada, e por mais de uma vez eu quis fazer parte do livro para dar dois petelecos em cada um e fazer alguma coisa acontecer. É um livro curto, que se lê rápido, mas muito saboroso. Os personagens são capazes de provocar emoções, identificação e suspense. Aliás, esse é um ponto importante: não termine de ler @mor se não for possível começar a ler Emmi e Leo: a sétima onda logo em seguida! Seria angustiante demais.

Voltando: Daniel Glattauer é um jornalista austríaco nascido em 1960 e @mor foi seu primeiro romance – bestseller em diversos países. Todas essas informações me empurrariam para um pouco mais longe do livro (homem, jornalista, escrevendo em alemão, über bestseller etc.), mas fico feliz de ter lido.

Acho que @mor fala muito mais de como nos relacionamos e o que esperamos das pessoas do que de amor amor. Pelos emails, vamos conhecendo Emmi e o que ela espera de cada pessoa ao seu redor, bem como qual papel ela espera exercer na sua vida. Já Leo vai sempre tentando se encontrar depois de perder os eixos de seu convívio com o mundo. Gosto da ideia desse livro de email porque, como não temos um narrador, os personagens não explicam ao leitor o que sentir, as situações vão se impondo, os personagens vão escrevendo o que sentem, mas não existe uma explicação para como o leitor deve se sentir. Devemos julgar a ação x de Emmi como boa ou ruim? Não sabemos. Leo foi um cafajeste com a antiga namorada? Cabe a você decidir. A amiga de Emmi é confiável? O emprego de Leo existe? As perguntas que surgem durante a leitura só podem ser respondidas, mesmo que parcialmente, pelo leitor. É uma história de amor, sem dúvida, mas sobre “amor a que” depende do leitor.

Uma leitura leve e agradável, que com certeza será complementada pelo segundo e último livro com os personagens.

Daniel Glattauer, dpa Photos

Daniel Glattauer, dpa Photos

  • Título original: Gut gegen Nordwind
  • Editora: Suma de Letras
  • Tradutor: Eduardo Simões
  • Ano lançamento: 2006
  • Ano edição: 2012
  • Número de páginas: 184

PS: Sim, eu também acho essa arroba do título o fim da picada.

Anúncios

11 pensamentos sobre “@mor – Daniel Glattauer

  1. Pingback: Leituras e compras: resumo de setembro em vídeo | ao rés do chão

  2. Li os dois também. Embora não seja um livro magnífico e nem nada, foi realmente difícil largar o livro. É o tipo de livro que você acaba lendo ”num estalo” e nem vê o tempo passar. Minha agonia foi que eu não tinha a sequencia em mãos e tive que esperar. Foi difícil mesmo, rs.

  3. Oi Luara! Eu amei esse livro, mas tive o azar de comprar na pré-venda e passei anos esperando o segundo…. e agora ele está esgotado em todos os sites…rs
    Foi um livro que li num dia só também, porque essa troca de e-mails é muito rápida de se ler né… o que mais me chamou a atenção no livro foi como virtualmente as pessoas conseguem se abrir mais e o quanto esse relacionamento mesmo que a distância pode ser intenso.
    Não vejo a hora de ler o segundo, só não gostei das capas novas, acho a antiga mais bonita.

    Beijo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s