Landline – Rainbow Rowell

landline-rainbow-rowell

Assim que esse livro saiu nos EUA (julho de 2014), fiquei com muita vontade de ler. Já tinha lido os três anteriores da autora (Fangirl, Eleanor & Park e Attachments) e gostado bastante, mas não estava certa se era o momento ideal na minha vida para um livro mais jovem. Fui para os livros mais adultos, me apaixonei pelo Carver e passei semanas lendo só quadrinhos. Por fim, minha cabeça já estava novamente em um momento pró-Rainbow.

Landline me chamou ainda mais a atenção do que os outros livros por ter uma dose mágica de viagem no tempo, mas como esperei um pouco para começar o livro, já tinha visto algumas resenhas não muito empolgadas. Iniciei a leitura sem grandes esperanças e acabei tendo uma boa experiência.

Escolhendo outra vez personagens em idade adulta — Georgie McCool (sim, McCool) e Neal —, Rainbow pensa em como é possível deixar a pessoa que você ama de lado, ou como só o amor pode não ser o bastante. Georgie é roteirista de uma série de TV e Neal é um dono de casa que cuida das duas filhas do casal, Alice e Noomi. A família vive em L.A., mas Omaha ainda está presente com a mãe e o passado de Neal. Quando Georgie precisa desistir da viagem de família para Omaha, onde iriam passar o Natal juntos, o já palpável desconforto do casamento torna-se incontornável. Neal e as meninas vão para Omaha, enquanto Georgie fica em L.A. para escrever o roteiro de seu novo, e muito aguardado, programa de TV.

Outros personagens são essenciais para o livro — o amigo, a mãe e a irmã (❤) de Georgie, são apenas alguns deles —, mas não tenho dúvidas de que os personagens mais bem desenvolvidos são Georgie e as filhas. Como os outros personagens de RR, as três mulheres da família McCool são inverossimilmente graciosas. Mesmo passando a semana toda com praticamente a mesma camiseta e com uma roupa de baixo, é impossível não imaginar Georgie como uma mistura de Jennifer Lawrence, Mila Kunis e Mindi Kaling. Ela é graciosa em seu sofrimento, quando tenta entender o status de seu relacionamento e quando sente falta de sua família. Mas ao mesmo tempo em que essa graciosidade é apaixonante, ela também causa um certo estranhamento. O mesmo acontece com a relação de Georgie com as filhas, mas em um sentido um pouco diferente. Georgie passa menos tempo com as filhas do que Neal, então é compreensível que ela veja somente o lado mais encantador das meninas. Mas quando penso nessas características em conjunto com os outros personagens, fico um pouco decepcionada. Não nego que dei risada e me emocionei em diversas partes do livro, mas alguns personagens têm um desenvolvimento insatisfatório quando pensamos neles depois de terminar a leitura. O próprio Neal não me pareceu suficiente.

Mas ao mesmo tempo, vários aspectos que acho importantes em um relacionamento estavam presentes na forma como Georgie lidava com a família. Ela não era perfeita, mas exalava carinho e tentava compreender. Ela não foi criticada por não abrir mão de seus desejos. Ela não deixou de ser “mandona” e não foi chamada de “bossy” nenhuma vez. Ela não assumiu uma competitividade agressiva, muitas vezes ligada a atitudes “masculinas”, e mesmo assim conseguiu seu trabalho e sucesso. Ela não é culpada por aquilo que acontece em seu casamento. Enfim, ela é uma boa personagem. Mas ao deixar que os personagens secundários fossem previsíveis demais, talvez RR tenha deixado Georgie desamparada em sua complexidade. E não estou esperando descrições complexas de caráter ou páginas de crise de consciência, mas um desenvolvimento mais próximo ao de Heather, irmã de Georgie, que surpreende e ganha consistência durante o livro, mesmo com destaque diminuto.

Cheguei até aqui sem falar sobre a mágica da viagem no tempo, mas isso realmente reflete o livro. A viagem no tempo é um pequeno acontecimento no encantador turbilhão Georgie.

3estrelas

Anúncios

8 pensamentos sobre “Landline – Rainbow Rowell

  1. Ooi, acabei de encontrar seu blog e achei lindo, lindo, lindo! Quando você começou a falar de Rainbow Rowell, me apaixonei mais ainda! Então, já li Fangirl e Eleanor & Park, e estou louca pra ler os outros dois dela e só não compro agora porque na Amazon, que é onde eu normalmente compro livros que não tem no Brasil, o frete é muuuito caro e acaba que não compensa! Mas fiquei meio desconfiada, três estrelas é bom pra você? Haha Beijos!

  2. Rainboooooow faz um livro gay pra nós. Cê não engana ninguém com esse nome, Rainbooow.
    Mas sério, essas 3 estrelas me desanimaram também. Mas depois lembrei que você curte Ricardo Lísias e pensei: bem, wth, talvez Landline seja mara. hahaha <3

  3. Quero ler muito, mas confesso que as três estrelas me desempolgaram. hahaha
    Faz um vídeo sobre esses livros, Lu. Seria bem legal…comprei Eleanor e Park e FanGirl, estou só esperando a Saraiva entregar…
    Bjs

  4. Adorei sua resenha!! Quero muito ler esse livro porque gostei bastante da escrita da Rainbow Rowell, mas quero ler Attachments antes. Só espero gostar de Georgie e Neal. :)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s